Herpes ocular: o que é e como tratar?

 

Você já ouviu falar de herpes na região dos lábios? Saiba que esse mesmo vírus pode infectar os olhos, provocando sintomas ainda mais desagradáveis e nocivos.

 

O herpes ocular pode ser contraído quando entramos em contato com áreas de secreção da doença, como a saliva ou as bolsas de herpes nos lábios.

 

Esse contato também pode ser indireto, caso as mãos toquem numa secreção de herpes e transmitam aos olhos.

 

Precisamos entender que nem sempre o vírus se manifesta imediatamente. Ele pode ficar quietinho no corpo por um bom tempo, até o momento em que algum fator — como a imunidade baixa — favoreça sua ativação.

 

O herpes ocular pode ter “idas e vindas” e se agravar com o tempo. Outro problema é que, muitas vezes, ele demora para ser identificado, podendo levar a danos irreversíveis na visão se tratado indevidamente.

 

 Os principais sintomas de herpes ocular são:

 

  • Maior sensibilidade à luz;
  • Coceira nos olhos;
  • Vermelhidão e irritação;
  • Sensação de que há algo na visão;
  • Visão embaçada;
  • Olho lacrimejando mais do que o normal;
  • Bolhas ou úlceras, com bordas avermelhadas e líquidas na pele dos olhos;
  • Em casos mais avançados: ferida na córnea, febre e perda de visão.

 

Existem diversos tratamentos para herpes ocular: à base de pomada, através de comprimidos orais ou via colírio. No entanto, a rapidez do diagnóstico e do tratamento são essenciais para um bom resultado.

 

Por isso, busque um oftalmologista assim que sentir uma anormalidade ou desconforto nos olhos. Medidas caseiras inadequadas podem levar a graves consequências, como a perda de visão.

 

Também é importante entender que, mesmo quando tratado, o herpes ocular não tem uma cura permanente. Ele pode se manifestar novamente ao longo da vida. Então, devemos nos manter atentos aos sintomas e realizar acompanhamento constante com o oftalmologista.

 

Por ser uma infecção provocada por vírus, evitar o contágio é bastante difícil. 

 

O que podemos fazer é criar hábitos saudáveis, que diminuam as chances de contração da doença ou evitem seu estágio agravado.

 

Fonte: Hospital de Olhos