Julho Turquesa - Mês da conscientização para o olho seco!

Instituído desde 2017 nos Estados Unidos, o Julho Turquesa surgiu no Brasil no ano  passado por meio de uma parceria entre a Associação dos Portadores de Olho Seco  (APOS) e a Tear Film Ocular Surface Society (TFOS).

 

O objetivo da campanha é informar melhor a população sobre a síndrome do olho seco, doença que afeta milhões de pessoas no mundo e que teve um aumento considerável de casos durante a pandemia do Coronavírus devido aos hábitos do isolamento social, como ficar mais tempo em frente ao computador, por exemplo.

 

O olho seco é ocasionado pela lubrificação inadequada da superfície dos olhos devido à má qualidade ou quantidade insuficiente de lágrima.

 

Diante desta disfunção lacrimal, a região ocular pode sofrer com ardência, vermelhidão, embaçamento, e sensação de secura e/ou de corpo  estranho nos olhos.

 

Reflexo da atualidade, principalmente em tempos de COVID-19, o uso excessivo de computador e celular está entre as causas mais comuns do olho seco. Contudo, abusar do ar-condicionado, ter transtornos nas pálpebras, usar lentes de contato, sofrer queimaduras nos olhos, e estar na menopausa ou com doenças reumatológicas também são outros fatores  relacionados.

 

E leve a síndrome do olho seco a sério, pois se não for diagnosticada e tratada  corretamente, ela pode provocar lesões na superfície ocular e progredir para sintomas permanentes e comprometimento da visão.

 

O tratamento varia conforme o estágio da doença. No início, o oftalmologista costuma receitar colírios lubrificantes, mas em quadros mais severos, pode ser necessária a utilização de outras medicações via oral ou até mesmo procedimentos cirúrgicos.


Fonte: Hospital de olhos
Imagem: pixabay.com