Riscos a visão com o aumento do uso de telas de smartphones, tablets e computadores

Com as normas para o distanciamento social relacionado ao COVID-19, cada vez mais as pessoas estão usando smartphones, tablets e computadores seja para o trabalho, atividades escolares ou diversão.

No entanto, um fenômeno já detectado antes com o aumento do uso de computadores, vem se acentuando: a Síndrome Visual Relacionada a Computadores (SVRC): uma série de sintomas visuais, entre os quais cansaço, sensação de corpo estranho, ardência, dor, irritação, vermelhidão, ressecamento e turvação visual.

Estudos apontam que até 90% dos usuários de computador por mais de três horas diárias apresentam algum tipo de sintoma relacionados à SRVC.

Uma das principais causas desse cansaço visual é o ressecamento ocular.

A diminuição do piscar, associada a outras condições ambientais, oculares e sistêmicas, com o ar condicionado, ventiladores, pouca ingestão de líquidos, uso de medicamentos (diuréticos, betabloqueadores) e o fumo, podem contribuir para agravar a SVRC.

A seguir algumas recomendações da Sociedade Brasileira de Oftalmologia:

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia recomenda que pequenas pausas de 5 a 10 minutos por hora sejam feitas pelo usuário, de preferência fixando a distância sem olhar para o monitor. Além disso, os turnos de 4 horas no computador, smartphone e tablets devem ser interrompidos para pausas maiores para evitar maior desconforto visual, recomendando-se usar colírio hidratante (semcortisona) de 2 a 4 vezes por dia.

Quem usa lente de contato, o ideal, se possível durante esse período de isolamento, deixar as lentes e usar óculos. Em caso de graus altos, se não for possível usar óculos, ter cuidados de lavar as mãos antes de colocar ou retirar as lentes de contato com água e sabão.

Nesta lavagem não usar álcool gel para não correr o risco de cair no olho e causar irritação. Lavar o estojo que guarda as lentes com água e sabão, e enxaguar bastante. Guardar as lentes na solução de esterilização e trocar esta solução diariamente.

Fonte: SBO (Sociedade Brasileira de Oftalmologia)